sábado, 31 de outubro de 2009

As Novas Tecnologias Digitais, As Crianças e a Educação

As novas tecnologias digitais são responsáveis por uma verdadeira revolução na sociedade brasileira e, por que não dizer, no mundo inteiro. O acesso à tecnologia é cada dia mais fácil, devido a fatores como preço dos equipamentos, facilidade de uso e sua portabilidade (os equipamentos são cada vez menores).

Hoje, é comum que jovens e crianças manipulem aparelhos celulares, ipod, MP4, MP5 e outros correlatos. Tais equipamentos permitem ao usuário fotografar, criar vídeos, gravar conversas, armazenar músicas, dados etc.

De posse dessas tecnologias, crianças e adolescentes - não só eles, mas principalmente eles - estão modificando seu relacionamento com a mídia tradicional. Deixaram de ser meros consumidores ou receptores de imagens e notícias e assumem o perfil de produtores de imagens e de editores de notícias, enfim, são emissores.

Sem dúvida que o cenário descrito acima enseja certo otimismo e aponta caminhos interessantes para o uso consciente e qualitativo das mídias e, em particular, para seu uso no campo da educação.

As escolas podem e devem se apropriar das tecnologias digitais para desenvolverem projetos pedagógicos, filmar e editar seus vídeos, fazer registros fotográficos das atividades, gravar digitalmente os conteúdos mais significativos, etc. Aliás, isto já está acontecendo em muitas escolas.

No Estado do Pará, podemos citar alguns exemplos em que as escolas, alunos e professores estão envolvidos em projetos relacionados às Tecnologias de Informação e Comunicação –TIC, entre os quais destacamos: o I Concurso Estadual de Blogs Educativos, no qual já ocorreram as etapas de Castanhal, Bragança, Santarém, Marabá, e ainda faltam as de Tucuruí e Belém. Após essas etapas regionais, ocorrerá a etapa estadual.

Os blogs das escolas ilustram perfeitamente como deve ser o uso inteligente e criativo das tecnologias digitais. Nos blogs podemos analisar muitos vídeos, fotografias, textos de autoria de alunos e professores; conteúdos relevantes para a formação integral do cidadão. Para conhecer vários desses blogs, basta acessar o blog da CTAE http://ctaeseducpa.wordpress.com/

Outro bom exemplo é o projeto Educarede promovido pela empresa Telefônica. No portal Educarede está em desenvolvimento o projeto Minha Terra: Aprender a Inovar. Nele, as escolas são instigadas a produzirem vídeos, fotografias, textos... sobre sua realidade local e depois postar os conteúdos produzidos na internet no próprio Portal Educarede, nos blogs das escolas e até no YouTube. Em Belém e Ananindeua, temos cerca de 22 escolas participantes da iniciativa do Educarede; essas escolas estão sendo orientadas e acompanhadas pela equipe de professores formadores do Núcleo de Tecnologia Educacional Profº. Washington Luis B. Lopes – NTE Belém. Alguns destes trabalhos já produzidos estão disponíveis no blog do NTE Belém http://ntebelempa.blogspot.com/2009/10/resultados-educarede.html

Outro exemplo é o Projeto Aluno Repórter (http://alunoreporter.com.br/) desenvolvido por professores e alunos de Bragança, coordenado pelo NTE Bragantino (http://ntebragantino.wordpress.com/). Com o projeto os alunos aprendem técnicas da radiodifusão e participam de programas ao vivo na rádio educadora de Bragança.

Ainda temos as oficinas de inclusão digital do Projeto Escola de Portas Abertas, o projeto Aluno Argonauta (http://alunosargonautas.jimdo.com/), Aluno Integrado e os cursos de Formação de Professores dos NTEs etc.

São exemplos de iniciativas com uso das tecnologias, embasadas em propostas pedagógicas sólidas, com objetivos claros a serem atingidos e que promovem o diálogo entre educadores e alunos, ação conjunta de ambas as partes envolvidas em projetos de construção de conhecimentos e experimentação de cidadania.

Entretanto, nenhuma das iniciativas, reveladas até aqui, ocupou o tempo dos grandes noticiários da imprensa local, ao contrário, o olhar da grande mídia prefere sempre expor as mazelas da escola pública. O último grande exemplo foi o episódio protagonizado por três jovens de uma escola pública de Belém. É preciso questionar, por que o uso inteligente e produtivo das tecnologias não é notícia e o uso inadequado ou ingênuo vira um espetáculo midiático?

É preciso que nós educadores, continuemos nos apropriando cada vez mais de conhecimentos para a ampla utilização das ferramentas tecnológicas disponíveis nos dias atuais, criando possibilidades de uso dessas tecnologias que aguce no aluno o interesse pela pesquisa dentro e fora da escola, desenvolvendo no educando, as capacidades de interpretação, síntese e criticidade, uma vez que, a escola é o espaço apropriado para ensinar como as pessoas devem se portar diante das tecnologias que fazem parte de seu cotidiano. Perguntamos: “será que esses estudantes envolvidos sabem, por exemplo, que a pessoa que tiver armazenado o vídeo em seu celular, pendrive ou computador poderá ser preso em flagrante acusado de pedofilia. Veja o que determina o ECA – Estatuto da Criança e Adolescente:

Segundo o ECA quem produz, dirige, fotografa, filma, contracena com crianças ou adolescentes – menores de 18 anos – em cena de nudez ou sexo explicito está sujeito às sanções referentes à pornografia infantil. E ainda, quem publica e armazena o conteúdo pornográfico também é enquadrado na Lei 11.829. A pessoa pode ser presa em flagrante delito se for pega com o celular ou qualquer meio eletrônico em que a imagem esteja armazenada. A pena varia de um a quatro anos de detenção e multa.

Sustentamos a seguinte opinião: não é por causa do recente episódio ocorrido em uma de nossas escolas que se deve proibir o uso do celular ou de qualquer outra tecnologia na escola. Concordamoos com Sérgio Amadeu, pesquisador brasileiro de comunicação mediada por computador e autor dos livros “Exclusão digital” e “A miséria na era da informação”, quando diz que não faz sentido proibir que estudantes tenham acesso a um meio de comunicação na escola que cada vez mais vai adquirir importância na sociedade. Ao contrário “se agente tem problemas do uso inadequado nas escolas, esse é um bom lugar para ensinar como as pessoas devem se portar com o celular”. Amadeu ressalta ainda que nenhuma tecnologia substitui a ética e nem a reflexão consciente do uso dessa tecnologia.

E assim, finalizamos com um apelo a todos os professores e escolas, que juntos pensemos em projetos de aplicação das TIC que apontem não só para encurtar espaços físicos, bem como integrar as pessoas em seu espaço urbano, e refletirmos no que diz Dr.Rogério da Costa em entrevista ao Educarede, realizada em março de 2009, que o importante não é apenas o tipo de projeto realizado, mas o esforço em estabelecer um novo paradigma para as tecnologias da comunicação: elas podem servir para que as pessoas façam um uso inteligente do espaço onde vivem que possam integrar seus hábitos e atitudes num coletivo inteligente, que pensa a favor do lugar em que vive. Quem sabe, um dia possamos ser alvo da mídia em um processo inverso ao que vemos hoje, em que muitas vezes, muitas de nossas escolas são alvos de uma mídia produzida de forma aligeirada, pouco convidativa à reflexão, que mais contribui para diminuir a auto-estima de alunos e professores e que decididamente não nos serve.

Texto: Jamille Galvão

Maria do Carmo Acácio

Marcelo Carvalho

Tânia Sanches


Ps. Solicitamos que todos os professores lotados em sala de informática educativa da SEDUC postem este texto nos blogs de suas escolas.

35 comentários:

Anônimo disse...

Parabens pelo excelente texto produzido pelo NTE Belém.Precisamos de iniciativas que possam contribuir na formação dos nossos alunos e na construção de uma sociedade mais justa.
prof. Sanches

Anônimo disse...

Vivemos a Era da Informática e não podemos nos desprender disso.É certo que as ferramentas digitais inúmeras vezes são utilizadas para fins espúrios que denigrem a imagem de muitos, entretanto também é certo que elas muito nos auxiliam n a resolução de inúmeros trabalhos de grande complexidade, tais como a análise coronária.
Com efeito, há necessidade de educarmos e nos educarmos no sentido do bom uso das ferramentas digitais, o que não é fácil, haja vista que somos seres humanos e constantemente somos tentados a nos desviar do caminho tido como ideal pela sociedade, mas a vida é um eterno aprendizado. Assim, o desafio do bom uso das ferramentas digitais deve perseveradamente ser uma bandeira de luta que todos devem abraçar.
Gilberto Melo da Cruz

Anônimo disse...

Parabéns ao autor pela publicação deste texto, que tenta conscientizar jovens e adolescentes, a utilizar o vídeo na rede, blogs, fotos de forma adequada e não denegrindo a imagens das pessoas como ocorreu com uma aluna de uma escola em belém, pois é uma situação muito constrangedora denegrir a imagem e conduta de uma pessoa.

Anônimo disse...

Realmente precisamos alertar nossos alunos quanto ao uso indevido não só da tecnologia como também acerca do sensacionalismo que a imprensa faz sobre certas situações impróprias,mas tais alertas não eximem a responsabilidade de pais e alunos sobre a falta cometida.
Marizalda Silva

Anônimo disse...

A utilização da tecnologia nos variados setores da sociedade é uma realidade. Na área educacional os benefícios são incontestáveis, porém há casos em que o uso da tecnologia está sendo usada de forma indevida, trazendo problemas sérios para quem quer usufruir das facilidades que esta ferramenta proporciona.
A imprensa noticía de forma prejudicial algum acontecimento em que ocorreu o uso indevido da tecnologia, destacando os prejuízos causados. Mas enfatizamos que as facilidades proporcionadas no emprego dessa tecnologia são imensamente
benéficos quando utilizados corretamente.

Antonio Cardoso

Anônimo disse...

e importante a tecnologia nas escolas e na sociedade para o avanço das relaçoes entre os sujeitos de forma madura e responsável, em que o uso da tecnologia esteja a serviço do homem e não para denegrir a imagem e os valores sociais e moraidas relações interpessoais, pois a tecnologia é uma ferramenta de trabalho que contribui para a troca de conhecimento e o enriquecimento da era da informação,todo instrumento de comunicação que envolve a sociedade deve ter três pilares : responsabilidade,ética,maturidade nesta sociedade em transformação.

Regeane pantoja

Anônimo disse...

As tecnologias na sala de aula potencializam as informações e possibilitam aos alunos e professores maior interação na abordagem dos assuntos e conteúdos pedagógicos.Portanto,seu uso de forma consciente possibilitam a apropriação de informações e conhecimentos essenciais à formação acadêmica e social de alunos e professores.
Profº Paulo Wanderley F. da Silveira

Anônimo disse...

As tecnologias estão presentes, em nosso dia a dia,para ajudar-nos em atividades variadas. Entretanto, temos que ter um norte, um objetivo no uso dessa ferramen para usá-la com discernimento e produtividade.Assim,evitaremos transtornos variados, do tipo que tomamos conhecimento nas ultimas semanas em nossa cidade.

Anônimo disse...

O texto reflete a realidade sobre a era digital. Temos muitas escolas que desenvolvem excelentes projetos do uso consciente e educativo das novas tecnologias digitas, porém a imprensa e a própria sociedade ignoram esses projetos educativos. Infelizmente os meios de comunicação dão destaque para casos graves que chocam os educadores em geral, como o que aconteceu com 3 adolescentes da escola Ulisses Guimarães, mas esta mesma imprensa ignora os grandes projetos voltados para o uso consciente dessas novas tecnologias, como os citados nesse texto, projetos estes que pela sua grandeza e importância precisariam de poucos minutos diários em nossos meios de comunicação para mudar esta triste realidade de crianças e jovens que usam esses recursos tecnológicos sem nenhuma orientação.
Profª. Silvana e Rosiene Costa.

Anônimo disse...

Bom dia!somos professoras/alunas do Projeto Introdução à Educação Digital, hoje o NTE vem desenvolvendo projeto em parceria com as escolas públicas como forma de incentivar na qualidade do ensino aprendizagem.
Percebemos que ainda existem professores
resistentes com a modernização tecnológica, porém vimos a importância dessa tecnologia para a valorização dos alunos e professores , uma vez que em Belém mais de 50% das escolas já estão informatizadas com trabalhos interdisciplinar educativos e voltados para a informática ,havendo uma melhor integração e atualização entre os mesmos.
professoras:Rosangela e Sara Andrade

Anônimo disse...

Será difícil fazer com que os pais participem ou tenham orientação no sentido da educação tecnológica, não só pela falta de acesso á essa tecnologia como também pela dificuldade no aprendi-
zado, ou ainda, muitos alunos nem sequer
tem pai ou mãe.

Prof. José Aragão Filho

Anônimo disse...

se formos analisar a questao abordada no texto sobre o uso correto da tecnologia nas escolas temos que começar pela preparaçao dos educadores....será que estão preparados para repassar essas orientações aos alunos haja visto que temos muitos professores que nao sabem lidar com a tecnologia como por exemplo o computador.Umas das dificuldades que temos e nao saber lidar com essa maquina enquanto nossos alunos estao a mil na nossa frente. Nao vejo que a deficiencia esteja somente no educador e sim no sistema em geral.Quando cito iwsso e por que sei que existe varios colegas que nao sabem ou cohecem os programas do computador,quando e como digitar depois como imprimir,conhecimento das ferramentas do computador etc. Entao como este professor vai lidar, nem todas escola tem profissionais qualificados para trabalhar nos computadores das escolas e a grande demora em mandar para as escolas esses profissionais finda o ano e a coisa nao acontece porque? Os nossos profissionais precisam ser qualificados a fim de que as coisa possam acontecer e quem sabe podermo evitar essa situação que aconteceu na escola referida no texto.Tambem tem a questao familia que muitas vezes deixa tudo para a escola e isso precisa ser trabalhado e temos tantas coisas a citar mas infelizmente o tempo nao da para escrever mais..................
nilza

Anônimo disse...

Quando nos vimos diante da situação ocorrida, nos traz bastante espanto pela dimensão que o fato tomou, por se tratar de adolescente que esta em fase de formação, e que necessita ter direcionamento em suas atitudes e principalmente ter limites no seu dia-a-dia, onde a família deve estar cada dia mais presente na vida deste adolescente. E a escola hoje esta sendo a família deste adolescente, porém a escola não tem apenas um adolescente para cuidar, mas são em média de 1000 a 4500 alunos, onde não há uma quantidade suficiente de profissionais lotados neste estabelecimento de ensino para trabalhar com estes jovens, os Concursos são feitos para as diversas áreas do magistério mas não são admitidos por nossa Secretaria, e todos estes fatores influenciam no bom andamento técnico,didático e pedagógico da escola. Quanto ao uso das tecnologias, os nossos adolescentes que já nasceram na era da alta informatização, estão sempre a frente dos nossos adultos que estão procurando se informatizar, mas mesmo assim ainda tem alguma limitação, as vezes pela falta de conhecimento, e a cada dia que passa as tecnologias estão avançando e é necessário que se faça a todo instante a renovação de conhecimento, para que assim estejamos em condições de direcionar os nossos adolescentes para o bom uso das tecnologias, buscando cada vez mais a excelência na sua utilização. Devemos abrir mais espaços para que os nossos adolescentes estejam utilizando os laboratorios de informatica de suas escolas, onde muitos ainda se encontram fechados, com os equipamentos se estrangando e perdendo sua vitalidade e deixando de dar oportunidade a estes adolescentes de estarem desenvolvendo seus conhecimentos na área da informática e construindo junto com professores e técnicos das escolas bons projetos e até mesmo repassando seus conhecimentos a professores e técnicos que ainda não estão aptos para o uso das tecnologias.

NTE disse...

Olá, realmente ainda temos muitas dificuldades em nossas escolas, ainda faltam profissionais de algumas áreas, porém, sobre as Salas de Informática, a situação já melhorou bastante. Existiam mais de 100 salas com problemas estruturais e com equipamentos sem uso, porém este número reduziu bastante nos últimos dois anos, assim, como foi feita a lotação de mais de 300 professores para atuar nestes espaços pedagógicos.
Mesmo assim concordo que precisamos melhorar ainda mais.

NTE disse...

Olá Nilza, o texto além de abordar a questão de tecnologia, também chama a atenção para a questão ética, ou seja, a propagação de conteúdo inadequado e o papel da mídia. Estas questões todos os professores devem estar preparados, faz parte do ofício do professor.

Ana Cecilia disse...

A escola tem um papel fundamental nos dias de hoje, orienta-los no uso das TIC's e alerta-los sobre o mundo da internet, os perigos envolvidos. Episódios triste como este que aconteceu devem servi como alertae incentivar mas a qualificação dos profissionais da educação e os projetos que envolve o uso das TIC's.
Como coordenadora da SI, criei um projeto, Uma experiência na 7ª arte, é uma oficina de cinema, onde eles manunseio as TIC's, colocam suas idéias, seus questionamentos, vem filmes, produzem filmes, etc. Aproveito para a divulgação do blog que teve hoje sua primeira postagem.
cineouteiro.blogspot.com

ericsiqueira disse...

É isso mesmo, notícia boa ninguém divulga, mas continuaremos fazendo a nossa parte.

Anônimo disse...

É desse tipo de informação crítica e construtiva que a escola precisa para caminhar em direção ao experimento da cidanania, vivenciando o mais alto grau de compromisso com educar para a vida. Parabéns pelo texto exposto.
Joana Andrade (professora da E. Ruth Rosita e E. Amílcar Tupiassu).

Prof. Mauro Alamar e Profª Renata Araújo, ambos da Escola Paulo Fontelles de Lima disse...

O texto realmente retrata a preocupação com o mau uso das tecnologias digitais.
Iremos divulgá-lo no blog da escola e incentivar nossos alunos a ler e discutir sobre o tema.

Paula disse...

Quando surgiu esse episódio do vídeo da escola, também comentei com algumas pessoas que a proibição do uso do celular na escola não mudaria a realidade da educação. Pois o que deve ser feito é a orientação dos jovens a fazerem o uso certo das tecnologias, por que a proibição do mesmo só levaria a uma revolta e mais uma vez a falta de diálogo da escola com os seus alunos. E a orientação sexual por que não???como já sabemos que hoje em dia as pessoas começam cedo sua vida sexual e não é a escola que irá proibi-los.

Anônimo disse...

Excelente artigo, precisamos e desenvolver uma "ética digital".

Alirio disse...

Excelente artigo, precisamos ter uma "ética digital" a partir de debates como estes.

Anônimo disse...

Gostei do texto, e creio que devemos nos unir para mostrar que dentro de nossas escolas também acontecem coisas boas, que existem projetos sendo executados.

Dilma bentes disse...

Achei interessante o texto, realmente as novas tecnologias foi tudo de bom e significativo que surgiu no final do século XX, infelizmente existem pessoas
que usam indevidamente, talvez por falta de ocupação ou até mesmo por não saberem utilizar a gama de conhecimentos que a internet nos oferece.
Dilma Bentes

Anônimo disse...

É lamentável e triste o que aconteceu,porém a informática foi usada de maneira irresponsável. É muito bonito quando se faz bom uso do material com responsabilidade aproveitamento.
Será que esses jovens estavam ciente do que iria acontecer depois?

denise disse...

gostei do trabalho,precisamos divulgar sempre que possível,vamos socializar

maria disse...

Sem duvida o uso da informática aponta novos caminhos da modernização,mas os adolesceste ainda não tem a responsabilidade de saber fazer uso para seus conhecimentos.E a mídia prefere comentar os podres das escolas do que grandes acontecimentos como esse que estar integrando professores da rede publica a Educação Digital.

Profº Augusto disse...

Reflexões é o que podemos fazer após lermos esse texto.Acho que não devemos fazer julgamentos dos alunos envolvidos e sim tentar compreende-los. È até difícil tentar imaginar o que estava passando na cabeça deles,mas sem dúvida eles não tinham noção do que estavam fazendo e principalmente quanto ao uso das mídias digitais e a proporção que esse acontecimento iria tomar, depois da divulgação na imprensa que as vezes se mostra insensata.

Íris Maria Chaves de Oliveira disse...

Observamos questões de extrema importância no texto, que trata principalmente do problema do mal uso dos inúmeros recursos tecnológicos,que estão à disposição de todos no dia de hoje. Infelizmente, nós (pais e professores) não estamos sabendo fazer uma intervenção nesta utilização para que ela produza efeitos positivos e não negativos.
As ferramentas tecnológicas fazem parte da nossa vida, hoje não temos mais como nos desvincular delas. As crianças precisam, sim, ter acesso às possibilidades oferecidas pela tecnologia, mas de uma forma organizada e orientada para que possa levar a um efetivo aprendizado.

paulo disse...

É preciso que nós educadores, continuemos nos apropriando cada vez mais de conhecimentos para a ampla utilização das ferramentas tecnológicas disponíveis nos dias atuais, criando possibilidades de uso dessas tecnologias que aguce no aluno o interesse pela pesquisa dentro e fora da escola, desenvolvendo no educando, as capacidades de interpretação, síntese e criticidade, uma vez que, a escola é o espaço apropriado para ensinar como as pessoas devem se portar diante das tecnologias que fazem parte de seu cotidiano.

aluno noite paulo luiz gonçalves silva

marcio disse...

Sou adepto que ainda muitas pesquisas devem ser feitas sobre o uso racional da tecnologia digital, pois o acesso a mesma se tornou cada vez mais fácil, a qualquer pessoa, independente da idade. Devemos sim, como educadores racionalizar e/ou direcionar ao educando o uso das tecnologias com um foco critico e educacional.

Anônimo disse...

concordo com o comentário de Antonio Cardoso.Q em poucas palavras e de forma direta resumiu o assunto!

ecXer disse...

Também sou contra a proibição do uso do aparelho de celular, por exemplo, nas escolas. No entanto, entendo que é necessário haver uma moderação deste uso. Sou a favor sim, de que as escolas percebam que estas tecnologias estão presentes em nosso dia-a-dia, independentemente de nossa vontade, pois são inerentes ao processo de evolução das sociedades e que, por isso, as aceitem. Neste sentido, faz-se necessário que criem dentro de seus espaços momentos para discussão, debates e estudo destas tecnologias, sobre o quanto elas podem ser benéficas se utilizadas corretamente, bem como, incluam até mesmo em seus regimentos "manuais" de conduta baseados na ética e no respeito, no sentido de mediar/administrar de forma não coercitiva este uso, ou seja, não com regras ou imposições, mas sugestões para o bom uso de aparelhos eletrônicos em sala de aula, principalmente. Não dá pra negar que é muito inconveniente e constrangedor para o professor, estar dando aula e, de repente, ouvir um zunido e perceber que ele vem daquele aluno lá no fundo que está com um fone no ouvido, ou aqueles toques estridentes que tiram a atenção do professor e de uma turma inteira! Sendo que, se este aluno, percebe a dimensão ética deste comportamento, poderá repensar sua atitude.

Anônimo disse...

o texto e muito interessante, pois relata
informações importante sobre a informática
e nos remete as varias reflexão como:
- Estamos utilizando corretamente a tecnologia.
-Até que ponto podemos avançar.
-Como instruir as nossas crianças e adolescente.
Enfim o artigo foi um aprendizado para muitos.

Anderson ^^, disse...

Vivemos a era tecnológica, onde transformações em diversos âmbitos se sucedem incessantemente, em virtude do avanço tecnológico. Por tanto, é condição sine que non que todos tenham acesso às TIC's para então fazer valer a inclusão digital, o qual dará margem para a concretização de muitos outros direitos como a democratização do conhecimento por meio da EAD, por exemplo. Destarte, entendo que deve ser cogitado como conscientizar aqueles que já tem acesso às tecnologias e como trabalhar com aqueles que estão chegando a utilizar as TIC'S para fins produtivos.